NOTÍCIAS

Mulheres vítimas de violência contam com apoio da Patrulha Maria da Penha em Boa Vista

Foto: Divulgação PMBV

Acolhimento, atendimento humanizado e proteção é o que a Patrulha Maria Penha oferece às mulheres de Boa Vista. O grupamento da Guarda Civil Municipal está na linha de frente contra a violência doméstica na cidade, garantindo a saúde física e mental das vítimas assistidas pelas equipes.

Conforme a Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito (SMST), a Patrulha Maria da Penha atendeu mais de 1.500 mulheres, só em 2022. No entanto, até novembro deste ano, o grupamento já atendeu 2.056 mulheres com medida protetiva. Além disso, ano passado, a equipe fez pouco mais de 6 mil visitas na casa dessas vítimas. Em 2023, já foram mais de 10 mil visitas na capital. Há explicação para isso.

“As mulheres estão tendo acesso à informação, se encorajando e denunciando. Por isso o número de casos e de medidas protetivas está aumentando. Hoje as vítimas sabem que existe a Lei Maria da Penha, uma rede de proteção e a Patrulha Maria da Penha, com atendimento específico através da Guarda Civil Municipal”, ressaltou a GCM Jessyka Pereira.

Uma vítima (que não ser identificada por motivo de segurança), denunciou o enteado após sofrer ameaças e perseguições. Com medida protetiva expedida pela justiça, ela recebe visitas regulares da Patrulha Maria da Penha em casa há um mês. “Desde o momento da denúncia eu fui bem acolhida. A Patrulha me orienta, que é o principal, e ainda disponibiliza um telefone 24 horas à disposição. Sou grata. Me sinto protegida e mais segura”, contou.

Assim, a guarda civil Jessyka ressalta que há vários tipos de violência que podem ser cometidos contra mulheres: como física, psicológica, patrimonial, moral. Todas tem reconhecimento pela pela Lei Maria da Penha, no entanto, a violência psicológica costuma ser a porta de entrada para as outras.

“A lei Maria da Penha protege a mulher de qualquer tipo de violência. Independentemente de quem seja o agressor, se vítima for uma mulher, ela será amparada. Portanto, se você que é mulher está passando por violência doméstica, quebre esse ciclo e denuncie”, orienta Jessyka.

Ações de prevenção e orientação às mulheres

Do mesmo modo, a Patrulha Maria da Penha tem feito uma série de ações para combater qualquer tipo de violência contra as mulheres e acolher as vítimas. Entre elas estão as palestras nos projetos sociais da Prefeitura de Boa Vista, campanhas de sensibilização e visitas às escolas públicas municipais da área urbana e da zona rural da cidade.

Conheça a Patrulha Maria da Penha de Boa Vista

Assim, a Patrulha em Boa Vista foi a segunda criada no Brasil. Em setembro de 2015, uma parceria da Prefeitura com o Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) resultou na implantação deste serviço essencial para as mulheres vítimas de violência doméstica.

Nesse sentido, o grupamento garante o cumprimento das medidas protetivas de urgência (MPU), expedidas pelo poder judiciário. A equipe composta por 17 agentes da Guarda Civil Municipal possui duas viaturas com identificação visual personalizada para uso exclusivo da Patrulha Maria da Penha.

Denúncia

Por fim, as vítimas podem fazer a denúncia na delegacia. Em caso de ocorrência de violência, pode ligar para a central da Guarda Civil Municipal por meio do número 4009-9355 ou para o 190 e pedir apoio a Polícia militar. Neste caso, é importante enfatizar a gravidade e urgência da situação.

Fonte: Da Redação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *